FALA 24 Artes - TOPO NOTÍCIAS (2).png

Documentários convidados e homenagem encerram o FALA São Chico 2024

Sessão inclui estreia de filme catarinense e produção dirigida por Antonio Celso dos Santos

 

Dois filmes vão encerrar o 3° Festival Audiovisual Latino-Americano de São Francisco do Sul – FALA São Chico 2024 de uma forma muito especial. Após a cerimônia de premiação, no sábado (22) às 19h30, no Cine Teatro X de Novembro, serão exibidos O Primeiro Telefone da Cidade, de Marina Simioli, e Trilhos Históricos II: Ferrovia Dona Francisca, de Antonio Celso dos Santos, idealizador da Associação Cultural Panvision, que faleceu no ano passado, sendo esta a primeira grande homenagem a ele nos festivais da Panvision.

 

O Primeiro Telefone da Cidade, que estreia no Festival e também é o primeiro filme dirigido e produzido profissionalmente por Marina, é um documentário biográfico sobre Naime Abraham de Brito, pioneira na área do turismo de Bombinhas/SC. A jornada de Naime se entrelaça com a história da cidade e guarda relação com  cidades como São Francisco do Sul, pois trata da chegada do turismo e as mudanças no desenvolvimento econômico.

 

“É a história de uma mulher forte, mãe, professora e empresária que construiu uma empresa que sobrevive há três gerações”, explica Marina, curadora e coordenadora de Programação do FALA São Chico. “Foi feito com recurso público da Lei Paulo Gustavo e vai estrear no festival que trabalho desde a primeira edição e que tenho um carinho imenso. É uma felicidade e um reconhecimento passar na tela grande”.

 

O último filme desta edição será Trilhos Históricos II: Ferrovia Dona Francisca (52’), de Antonio Celso dos Santos, realizado em 2015 e exibido agora para celebrar sua memória. O filme traz a história social, cultural e econômica da Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande - tronco São Francisco do Sul a Mafra, parte da formação do planalto norte de Santa Catarina, e as memórias que envolvem a locomotiva Maria Fumaça. É parte de um projeto iniciado em 2010, para contar a história dos trilhos de trem em Santa Catarina. Celso teve uma vida dedicada ao Cinema. Ao lado da esposa Denise Naccari, criou o Florianópolis Audiovisual Mercosul – FAM, um dos maiores festivais voltados ao cinema latino-americano, e a Associação Cultural Panvision, também realizadora do FALA.

 

“Celebramos um artista, um profissional muito criativo, e sua jornada incompleta e ao mesmo tempo permanente a ponto de seguir além do seu tempo na terra. A obra audiovisual tem essa capacidade incrível de nos fazer reconectar e revalorizar mais uma vez a experiência que estava sendo contada. Fazemos essa homenagem ao Celso com a obra que ele realizou e pouco distribuiu e que foi feita em grande parte em São Francisco do Sul. Foi um momento de redescoberta para a cidade, agora o filme chega ao FALA e permanece na cidade”, conta a diretora geral e de Programação do FALA, Marilha Naccari, filha de Celso.

 

O FALA São Chico 2024 é produzido através da Lei de Incentivo à Cultura. Tem parceria das empresas especializadas em audiovisual DOT, Link Digital, Media Mundus, Mistika e Naymovie. Apoio institucional da Prefeitura Municipal de São Francisco do Sul e da Fundação Cultural Ilha de São Francisco e Associação Empresarial São Francisco do Sul. Com o apoio da Wana e Full Port e o patrocínio do Grupo Krona e Condor Realização Associação Cultural Panvision, Ministério da Cultura, Governo Federal, União e Reconstrução.